Todos os posts em Anna Todd


Matéria publicada por: Marcelo Ramos

Em conversa com Anna Todd e Damon Baker

Anna Todd, autora de best-sellers internacional e do New York Times, é a mente criativa por trás da popular série de livros “After”. Desde o início de sua carreira como escritora no Wattpad até se tornar uma autora publicada, seus livros foram traduzidos para mais de 30 idiomas e “After”, o primeiro romance da série foi adaptado para cinema em 2019, com sequências a serem lançadas.

Damon Baker, o fotógrafo talentoso, sentou-se com Anna para conversar sobre sua carreira e sua vida.

Damon: Anna, alguns momentos atrás você estava na frente da minha câmera me dizendo que não tinha ideia do que fazer, então acendemos uma vela juntos e eu disse a você que tudo que você precisa fazer é fechar os olhos, mas quando você os abre, você é a mulher que sempre foi. Uma mulher que dedica sua vida a Asher e Jordan, uma mulher que traz sua fantasia à vida, dando todo seu coração e alma para sua arte.

Anna: Em primeiro lugar, obrigado por me permitir sair da minha zona de conforto de uma forma tão confortável e autêntica.

É natural para você expressar seus pensamentos através da escrita?

Escrever para mim é tão natural quanto respirar. É o único momento em que minha mente fica em silêncio, apesar das palavras e mundos inteiros fluindo através de mim e para o teclado. Sinto que minha mente está tão cheia de tantas histórias, pessoas e cenários que não tenho tempo suficiente durante o dia para contá-los todos.

Você me disse que escrever não é uma rotina, é um momento que aparece em você e que é quando realmente se sente inteira, para criar?

Sim! Eu conheço muitos escritores que programam seus dias de escrita, colocando até horários, e eu sempre senti inveja de eles poderem fazer isso. Sempre que tento programar minha escrita, fico parada na página em branco e isso realmente me dói. Se eu forçar, acabo apagando tudo na próxima vez que leio. Há momentos em que estou no meio de uma tarefa completamente diferente, ou mesmo no telefone ou no supermercado e tenho que pegar o meu celular e anotar tudo no bloco de notas. Sou uma escritora muito desorganizado nesse sentido. Tenho que sentir tudo ou odeio cada palavra.

Quem é você criativamente, Anna?

Sou mais uma contadora de histórias do que uma escritora. Sou uma mulher chegando ao meu poder (muito recentemente) e tentando dar voz aos que não têm voz. Quero que as pessoas, que normalmente não conseguem se encontrar em romances, se sintam vistas e ouvidas nos meus. É isso que sonho que seja o meu legado.

A criação de um império certamente deve ter afetado sua saúde mental. Isso é verdade?

Bem, isso definitivamente afetou minha saúde mental. Não quero parecer ingrata, mas tem sido difícil de ajustar, especialmente quando se trata de tentar fazer minha fã-base feliz. As redes sociais costumavam ser um lugar divertido para mim e agora quanto mais minha carreira cresce, mais ansiedade isso me causa. Não é normal ler coisas ruins ou boas até mesmo sobre você o dia todo. Sempre tive uma espécie de cérebro maníaco, mas isso fez com que eu desenvolvesse uma extrema ansiedade em torno das redes sociais e da pressão para viver de acordo com o legado que quero deixar. Sou grata pela minha vida e carreira, mas definitivamente teve um custo para a minha saúde mental. Eu não diria que estou bem, mas estarei.

Eu adoraria saber como você lida com compartilhar a sua arte com o mundo.

É diferente com cada livro. Às vezes eu escrevo algo e sinto que é a melhor coisa que escrevi, então eu entrego e vejo o meu próprio trabalho. Tenho esse processo que sempre sinto que não mereço elogios e atenção, e às vezes é difícil voltar à realidade e lembrar que minhas palavras tocaram milhões de pessoas. Eu tive Síndrome do Impostor nos últimos seis anos, mas aos poucos estou assumindo meu poder e não consigo imaginar uma vida em que eu não compartilhasse minhas palavras com as pessoas.

O que te levou ao momento de sua vida em que decidiu que compartilhar sua arte era seu destino?

Eu gostaria de ter uma resposta elaborada e chique para essa pergunta, mas foi o tédio. Literalmente. Tenho sido uma leitora muito ávida durante toda a minha vida, mas nunca sonhei que poderia escrever algo meu. Encontrei um site que estava lendo e um dia decidi escrever um capítulo e depois outro, depois outro. Escrevi meu primeiro romance escrevendo o que queria ler como leitora, e aqui estamos.

Por favor, diga-me, diga ao mundo, onde você vai se aventurar a seguir? Sua arte criou um mundo para muitas pessoas se conectarem e se sentirem seguras ao redor do mundo.

Obrigada. Estou passando por uma grande transição criativa agora, pela qual estou igualmente apavorada e animada. Tenho tantas histórias para contar e muitas outras conexões para fazer para meus leitores, novos e antigos. Eu comecei minha própria produtora depois de minha experiência em adaptar meus próprios romances e vou criar um espaço seguro e justo para os criativos se expressarem sem a escuridão da indústria.

Talento: Anna Todd
Fotografia: Damon Baker
Styling: Lisa Jarvis
Cabelo: Patricia Morales usando IGK hair care
Maquiagem: Trace Watkins
Jornalista: Jana Letonja

Matéria: Numéro Netherlands
Tradução e Adaptação: Equipe After Brasil

Os protagonistas de “After 2”, Josephine Langford, Hero Fiennes-Tiffin e Dylan Sprouse, contam para a VanityFair.it as emoções e curiosidades por trás de um dos filmes mais esperados do ano. E a escritora da saga, Anna Todd, fala sobre a importância de falarmos sobre sexo entre os mais jovens.

Os leitores que reprovaram o primeiro filme por ser muito diferente do livro, amenizar a relação entre Tessa e Hardin e eliminar muitas das cenas de sexo presentes entre as páginas não ficarão decepcionados, pois “After We Collided”, o segundo capítulo de uma das sagas mais bem sucedidas dos últimos anos, eleva o nível e as atmosferas carregadas de tensão, sexual e emocional, dos protagonistas da obra original de forma surpreendente, plausível e absoluta.

“A produtora garantiu que desta vez eu tivesse mais poder no processo criativo para que os fãs não ficassem decepcionados.” — Anna Todd.

“O primeiro filme não tinha muitas das sombras que caracterizam a relação entre Tessa e Hardin. O diretor Roger Kumble imediatamente se familiarizou com o material que trabalharia e estava animado para dar aos fãs o que eles queriam”, disse a escritora Anna Todd, em uma conferência via Zoom, ao apresentar à imprensa estrangeira o segundo filme de seu livro, After 2 – Un cuore in mille pezzi, publicado na Itália pela Sperling & Kupfer.

O filme, que chega aos cinemas em 2 de setembro, retoma a história de onde parou: Tessa descobriu que Hardin, o garoto por quem ela se apaixonou loucamente em seu primeiro ano na faculdade, decidiu seduzi-la devido a uma aposta e agora ela está determinada a reprimir qualquer sentimento que a prenda a ele. Enquanto Hardin não consegue se livrar dos maus hábitos que já havia mostrado no primeiro filme, Tessa segue em frente, começa um estágio na editora Vance e conhece um cara que parece ter todas as qualidades necessárias para se candidatar ao posto de namorado perfeito. Seu nome é Trevor e, embora os fãs dos livros tenham sentimentos diferentes em relação ao personagem, sabemos que ele ganhará grande parte do público por sua aparência e olhos verdes. Ele será interpretado por Dylan Sprouse, que explica como foi emocionante se tornar parte de um projeto tão querido por jovens do mundo todo: “Quando cheguei em Atlanta, sabia que entraria em uma produção muito querida. De um lado, havia a atmosfera da equipe em que todos pareciam se conhecer e se divertir muito – e do outro, o efeito After que encantou os fãs.”

Josephine Langford e Hero Fiennes-Tiffin, agora muito mais íntimos na tela e grandes amigos na vida real, estão de volta a seus personagens. “Neste filme, finalmente encontramos uma Tessa mais madura e sábia, lidando com um estágio e a bagagem de seu primeiro grande amor “, revela Josephine, que usa roupa preta e uma maquiagem pesada.

“O primeiro filme gira em torno do encontro dos dois protagonistas e, quando ele termina, o público sabe os sentimentos que eles têm um pelo outro. Por outro lado, o segundo se concentra em explorar o mundo interno dos personagens, então não acho que os dois protagonistas mudam significativamente: prefiro dizer que é a maneira como os vemos que muda”, acrescenta Hero, com o cabelo para trás e de polo bege, que se destaca em um fundo branco. Desta vez, ambos estarão envolvidos em mais cenas de sexo do que no primeiro “After”. Perguntamos a ele se houve um pouco de constrangimento no set, e foi Josephine quem respondeu. Hero diz que “algumas vezes eu esqueci minhas fala, o que foi embaraçoso”, então Josephine explica que ter uma equipe sempre pronta para te ajudar foi crucial para fazê-la se sentir confortável ao filmar sequências mais ousadas. “Esse é o tipo de ambiente que você precisa para ser capaz de fazer tal filme e ficar emocionalmente estável no set.”

Além do relacionamento de Tessa e Hardin, “After 2” mostrará mais sobre o passado, especialmente o de Hardin. “Saber o que ele passou pode nos dar algumas explicações sobre o seu comportamento e jeito de ser”, acrescenta Hero, que ressalta que ele nunca fez uma aposta tão terrível como Hardin fez com seus amigos para fazer com que Tessa se apaixonasse por ele e depois tivesse o coração. “Eu nunca poderia fazer algo tão ruim. Admito ter apostado muito dinheiro no meu time favorito algumas vezes, mas é algo que não faço mais.”

“Acho que desse ponto de vista, o presente conta mais do que o passado e a evolução que ambos vivem como seres humanos também emerge de uma mudança na forma de comunicação entre eles,” Josephine também comenta.

A história dos dois protagonistas, por outro lado, é tão familiar para o público que nem mesmo a autora da saga, Anna Todd, sabe explicar porque seus cinco livros encontraram o gosto de tantos leitores em todo o mundo: “Eu também gostaria de saber. Acho que o sucesso de “After” é devido ao fato de que você pode encontrar uma parte de si mesmo em cada um dos personagens. As histórias contadas são tantas que, mesmo que você não possa se ver em Hardin ou Tessa, você pode se ver em Molly ou Steph, e você pode encontrar algo sobre sua própria infância descobrindo o vício de Hardin. Não é simplesmente a história de duas pessoas fazendo sexo e brigando, os personagens são profundos para que qualquer um possa, em partes, se identificar com eles. Essa é a conclusão que cheguei ao longo dos últimos dois anos.”

As demonstrações de afeto pelo trabalho de Todd, por outro lado, vieram em mais de uma ocasião – em certo momento ela conta ter tido contato de dois pais brasileiros que haviam perdido a filha, que morreu com seu livro no colo. “Muitas meninas me dizem que aprenderam várias coisas. Tem aquelas que me disseram que perceberam que deveriam largar um menino, aquelas que entenderam que deveriam perdoar seu pai, aquelas que perceberam que deveriam se sentir mais seguras e aquelas que tinham que desistir da ideia de um amor perfeito. Eu amo ver tantas reações diferentes porque, por mais que muitos não acreditem no meu trabalho, eu posso atingir o coração de muitas pessoas, de um jeito ou de outro.”

Falar sobre sexo não é uma escolha qualquer, mas sim necessária: “Eu não entendo esse hábito de querer manter as meninas afastadas sobre tudo relacionado ao sexo, e subordinar sua ideia de sexo a um ponto de vista puramente masculino. Quando ‘Cinquenta Tons de Cinza” foi lançado, muitas mulheres escondiam a capa do livro, aterrorizadas por saberem que estavam lendo um romance erótico. Mas quando você é uma pessoa adulta, isso não deveria acontecer. Também penso nas controvérsias provocadas por “After”, relacionadas ao fato de que as meninas leram sobre masturbação, mas eu não entendo o porquê que você deveria ter vergonha. Se você se sente ofendido pelo sexo, você não é obrigado a ouvir sobre isso, mas aquelas pessoas que são curiosas – e muitas meninas jovens são – têm todo o direito de explorar sua sexualidade e fazer sexo. O sexo deve permitir que você se sinta poderosa, e por mais generalizado que possa parecer, são principalmente os homens que teriam mais a aprender sobre o assunto. Para que haja uma verdadeira coesão nos relacionamentos, é importante que as meninas possam expressar sua sexualidade e experienciá-la como uma coisa normal, e que o assunto seja abordado sem nenhuma vergonha.”

Entrevista por Mario Manca para a Vanity Fair Italia.
Tradução e Adaptação por Tiffany Luana e Marcelo Ramos para o After Brasil.

Matéria publicada por: Marcelo Ramos

Karina e Kael estão de volta em um novo capítulo muito pessoal para a autora porque o seu marido, assim como o protagonista, também um jovem soldado no exército. Anna Todd, que alcançou o sucesso com “After”, conta como surgiu a ideia do livro e porque ela decidiu falar publicamente sobre o movimento Black Lives Matter.

Sem “querido diário”: por ser uma millennial, Anna Todd nunca usou papel e caneta. Suas fantasias sobre Harry Styles, da One Direction, foram freneticamente escritas pelo teclado do seu celular, assim como E. L. James fez com a sua versão erótica de “Crepúsculo”, que se transformou na saga de “Cinquenta Tons de Cinza”. Após seis anos, essas histórias que nasceram como uma diversão e foram publicadas gratuitamente na plataforma do Wattpad (que conta com mais de 1.5 bilhão de leituras), se tornou “After”, uma série que virou um fenômeno mundial com mais de 11 milhões de cópias vendidas e US$ 70 milhões nas bilheterias com o primeiro filme (a sequência chegará nos cinemas até o fim de 2020). A escritora de 31 anos, até o momento, nunca deixou de visitar a Itália em suas turnês promocionais, um dos países onde ela é muito popular. É por isso que ela decidiu continuar com a sua tradição ao lançar seu novo livro, The Darkest Moon (Stars 2 – Noi come sole e luna, em italiano), ao organizar um encontro virtual com seus leitores italianos diretamente de Los Angeles. Com mais de uma hora de perguntas e respostas via Zoom, entre lágrimas, suspiros e uma foto em grupo, os fãs puderam conversar diretamente com a autora sobre suas curiosidades. “Você salvou a minha vida. Eu vivia um momento triste e obscuro e ler as suas histórias me deu forças para continuar vivendo,” uma adolescente confessou.

Após Hardin e Tessa de “After”, Anna Todd continua a contar histórias de amor tumultuosas: é o que acontece entre Karina e Kael, de Stars, em um novo capítulo ainda mais pessoal devido ao seu marido, assim como o protagonista, que também um jovem soldado no exército e ela está familiarizada com os efeitos que isso causam na vida do casal.

Qual é o tipo de amor que este livro conta?
Um que gera frustração em todos, incluindo eu, porque Karina e Kael sentem muita falta um do outro, mas não podem estar juntos. As suas experiências nasceram daquelas ao meu redor, mesmo que não sejam tão similares às minhas. Para ser sincera, meu marido constantemente faz piadas dizendo que, uma hora ou outra, tudo o que acontece entre nós acaba aparecendo nas páginas dos meus livros.

Então, a Karina não é muito parecida com você?
Não, o personagem que mais se assemelha a mim ainda é o Hardin, mesmo que a Karina seja aquela pessoa que pensa demais sobre as coisas, analisa tudo várias vezes, assim como eu. Enquanto escrevo, eu vou mudando o manuscrito tantas vezes que, em algum momento, eu preciso parar senão ele nunca verá a luz do dia.

Você já está pensando em um filme sobre “Stars”?
Eu recebi ofertas e eu gostaria de vender os direitos em breve, mas agora que conheço mais a fundo a indústria dos filmes, eu vou me tornar mais cuidadosa e prudente. Com certeza irei mudar algumas coisas em relação às condições sobre os direitos da história comparado com o que eu fiz com “After”.

Você tem mente alguns atores que gostaria de ver na adaptação?
Sempre. Eu não consigo escrever um personagem se não visualizar o seu rosto. Eu não sei o motivo, mas eu só consegui achar a [atriz que mais se assemelha à] Karina durante o final do segundo livro (a história será uma trilogia). Danielle Campbell, de “The Originals”, seria perfeita para mim.

E para o Kael?
Embora ele passe da idade certa para interpretá-lo, eu gostaria de ver o Michael B. Jordan. Sempre acontece assim para mim: se eu não tiver uma imagem clara das suas aparências, eu não consigo descrevê-los.

Após o sucesso de “After”, se tornou mais fácil de criar uma nova saga?
Não, muito pelo o contrário, na verdade. “After” nasceu de uma diversão e eu absolutamente não pensava que ele se tornaria um livro, muito menos um sucesso. Já com “Stars”, eu sinto a pressão das expectativas dos leitores que não quero desapontar.

Os personagens têm diferentes etnias. Qual é a importância de celebrar a diversidade hoje em dia?
O meu marido e filho são negros, então o movimento Black Lives Matter me tocou muito e ver tantas pessoas irem para as ruas e organizarem algo assim fez com que meu coração se abrisse. Antes, eu tinha medo de me expor para não irritar os meus fãs mais conservadores. Agora, eu não tenho mais medo: eu não concordo com a política do Trump e eu falo disso abertamente, mesmo que custe perder uma parte do meu público. Eu não gosto como os soldados são tratados, recrutados jovens e depois largados quando voltam para casa com sequelas de vários tipos, como estresse pós-traumático.

O que “After” e “Stars” têm em comum e o que os diferenciam?
O amor em “Stars” é mais maduro e complexo, mas nos dois casos nós estamos falando de almas gêmeas, uma força de atração que não pode ser escapada mesmo que você tente muito, como a Karina faz. Você não consegue escapar do seu destino. E todos eles têm pais desastrosos, mas não me pergunte o porquê disso. Simplesmente é assim.

A história de “After” realmente acabou?
Não mesmo. Eu adicionei várias histórias e detalhes às vidas de Tessa e Hardin que eu poderia continuar escrevendo por um muito tempo, mas não compartilhei nada porque não quero entendiar o meu público. Muitos leitores me pedem por mais, então eu decidi vou publicá-los, seja em uma livraria ou online.

Quanto significa para você não poder encontrar com os seus fãs para o lançamento desse livro?
Muito! Essa é a parte que eu mais gosto no meu trabalho, mas a segurança vem em primeiro lugar. Na verdade, eu estava muito hesitante em fazer a divulgação dele nesse período triste. No começo, eu nem queria escrever nada nas redes sociais, eu não queria parecer insensível ao falar sobre ficção quando, na verdade, pessoas estão morrendo ou perdendo pessoas amadas. Eu, no entanto, li muito durante a quarentena e entendi que precisamos de um escape e achar meios para nos entreter mais do que nunca.

Se uma editora não tivesse te descoberto na internet, qual profissão você teria seguido?
Blogueira de livros. Ser paga para ler seria um sonho, ou poder selecioná-los para uma editora. Se eu quisesse focar em algo mais seguro, com um plano de saúde, talvez eu acabaria tendo esses trabalhos chatos de escritório, dos tipos administrativos.

O que te motivou a continuar escrevendo?
Quando eu estava lá pela metade da fanfic em que “After” nasceu, percebi que as pessoas estavam gostando daquilo, então eu disse para mim mesma que talvez exista alguém que realmente queira ler o que eu gosto de escrever. Foi um sonho que eu nunca me permiti sonhar e então aqui estou eu – consegui tornar a coisa que mais amo no mundo em meu trabalho.

O que podemos esperar de Anna Todd para o futuro?
Um terceiro de livro de “Stars”, onde eu vou falar ainda mais sobre racismo; uma sequência de “Spring Girls”, a minha versão moderna de “Little Women”; e uma nova fanfic que eu vou deixar em segredo, por enquanto.

Qual conselho você daria para as pessoas que se inspiram em você ao redor do mundo?
Continuem sendo leitores ávidos, não sigam as tendências e não escrevam histórias apenas para agradar o público. Agora, mais do que nunca, as editoras estão procurando por vozes diferentes, jovens e novas, únicas. Elas estão esperando por você, não tenha medo e vá em frente.

Entrevista: Alessandra de Tomassi para a Vogue Italia
Tradução e adaptação: Marcelo Ramos para o After Brasil

Anna Todd respondeu uma série de perguntas feitas por fãs no seu grupo para leitores no Facebook, na tarde de hoje. A autora falou sobre After We Collided, mais livros no universo After, sequência de The Brightest Stars e novos projetos. Confira abaixo as perguntas e respostas:

Novos livros a serem lançados?
Sim! A sequência de “The Brightest Stars” e estou trabalhando em um livro que é secreto e diferente de tudo que já escrevi até hoje.

Você já sabe para onde irá com a turnê de AWC?
Ainda não sei.

Como está sendo a edição de AWC? Você tem alguma ideia de quando teremos o teaser?
A edição está indo muito bem! É bastante trabalho e um filme é realmente feito durante este processo! Eu ainda não sei sobre datas para o teaser, mas espero que em breve.

Qual a sua cena favorita do próximo filme?
A cena dos 9 dias ou uma que se passa no escritório (não posso ser muito específica).

Haverão mais livros sobre “After”?
Não posso dizer que não…

Histórias favoritas dos bastidores das filmagens?
Todas as nossas piadas internas e risadas. Nós tivemos um bom momento durante as filmagens, parecia um acampamento de verão.

Você chegou a imaginar que os livros de “After” fariam tanto sucesso como fazem agora e que faria um filme?
Nuncaaaa. Eu ainda não consigo acreditar.

Qual é a sua parte favorita sobre escrever?
Poder deixar a minha mente de lado e contar histórias, fazer as pessoas felizes.

Se você tivesse que escolher qualquer outro personagem além de Tessa, Hardin e Landon, quem você gostaria de desenvolver uma história própria e fazê-lo conhecido?
Molly! Eu amo demais a Molly.

Você pode descrever AWC em uma palavra?
Intenso.

Eu amaria se você escrevesse outro livro na série “After” falando sobre os anos que se passaram dentro da história, sobre os desafios do amor, eles criando uma família. Você já pensou nisso?
Sim! Eu tenho escrito bastante sobre isso ao longo dos anos e vou publicar algum dia.

Como você se força a escrever? Isso apenas acontece?
Algumas vezes, as palavras brotam para fora de mim, mas, outras vezes, eu tenho que forçar a escrever. Mas, todas as vezes que eu me forço, acabo apagando tudo o que escrevi 🙁

Parte favorita das filmagens de AWC?
Ver o grande crescimento dos personagens em comparação ao primeiro filme.

Quais são os seus planos depois que filmar todos os filmes da série “After”?
Espero que fazer os filmes de meus outros livros.

Objetivos que espera cumprir em 2020?
Terminar de escrever os dois livros que estou trabalhando!

Se você pudesse jantar com uma pessoa famosa, que já morreu ou que ainda é viva, quem seria? Por quê?
Hmmm, provavelmente Tom Hanks porque eu acho que ele é bondoso e um cara esperto. Ou Jane Austen para receber conselhos sobre como ser uma mulher no mundo editoral masculino.

O que te inspirou ao fazer Karina ter um irmão gêmeo em “The Brightest Stars”?
Eu queria que ela tivesse um “espelho” durante a sua jornada e Austin faz esse papel.

Como você definiria esta família que criamos?
Incrível e conectada <3

Qual o seu personagem favorito de “After”? E o seu livro e filme favorito de todos os tempos?
Hardin é o meu personagem favorito. Livro favorito é “Clockwork Princess”, filme é “Sleepless in Seattle”.

Quando será lançado o segundo livro de “The Brightest Stars”?
Este ano! Ele está quase pronto 🙂

Você planeja tornar os livros do Landon em filmes?
Eu espero que sim 😉

Tem algo que você pode nos contar sobre o trailer de AWC?
É quente e dramático.

Você escreveria outro livro sobre romances jovens parecidos com “After”?
Sim! Eu amo escrever sobre amores jovens.

Por que você apressou “After Ever Happy”?
Pressão da minha editora.

Por que você acha que as pessoas criticam a complexidade do relacionamento entre Tessa e Hardin?
Porque isso as deixa desconfortáveis e levanta questionamentos que muitos “romances” não fazem. Para mim, é por isto que eu gostaria de ser conhecida.

Você escreveria um spin-off focado exclusivamente na Molly?
Eu pensei em fazer isso diversas vezes!

Erros de gravações em AWC?
Sim.

Qual a sua parte favorita ao ver seus livros ganharem vida?
Ver o quanto eles tornam vocês felizes e conhecer a Jo e o Hero.

Hardin terá mais tatuagens?
Sim. Não como nos livros, mas terá sim.

Você faria mais audiolivros? Sua voz é incrivelmente linda!
Aw, obrigada! Na verdade, eu já considerei! Agora você está me deixando com vontade de realmente fazê-los!

Você fica irritada quando os fãs te atacam? Eu fico por você!
Sim haha. Não fico tão brava quanto costumava ficar, mas eu estava deixando isso me atingir, então percebi que o Twitter não é vida real haha

Pode nos dar algumas pistas sobre os temas abordados na sequência de “The Brightest Stars”?
Dor, vício, perdas e ansiedade.

Qual é o seu lugar favorito para escrever?
Cafeterias lotadas com vários assentos! Ou o meu escritório em casa, mas eu me distraio com muita facilidade haha.

Anna ainda disse que planeja voltar para responder mais perguntas, desta vez em uma live!

Você teve um bom Natal e Ano Novo?
Sim! Foi uma época ótima e de descanso. Eu passei bastante tempo balanceando entre cuidar da minha saúde mental e cuidado próprio, e planejando o novo ano. Espero que você também tenha tido [um ótimo Natal e Ano Novo].

Quais livros você está lendo atualmente?
Eu acabei de terminar “In Peace Lies Havoc”, de Amo Jones, e agora estou lendo “The Silver Swan”, também dela.

O que está no topo da sua lista de desejos?
Hmm, eu diria que ter uma casa cheia de netos e ser feliz, mas no topo mesmo é visitar a Tailândia e Índia.

Qual o seu livro favorito?
De todos, é “Clockwork Princess”. Os meus outros são “Clockwork Princess”, “The Bronze Horseman”, “You”, qualquer um de Jane Austen, e “God Shaped Hole”.

Você leria algumas histórias dos seus fãs no Wattpad?
Sim, é claro! Me manda o link.

O seu marido leu seus livros?
After não, mas ele sabe cada parte dele.

Você já ouviu falar sobre Madagascar? Existem muitos afternators por aqui, sabia?
Sim! Eu quero ir aí!

O que você faz quando se sente “parada” na vida? Eu estou em momento em que não vejo nenhuma luz no fim do túnel, então estava curiosa.
Eu medito bastante. Eu faria um lista, seja mental ou em um papel, das coisas que você deseja na sua vida e como chegar até elas. Eu também tentaria um hobby novo, começar a caminhar ou ler mais. Aprender uma língua nova, lembrar você mesma que é forte e capaz e a luz no fim do túnel chegará <3

Você tem alguma tatuagem que gostaria de fazer em 2020?
Eu tenho umas 3! A cauda de uma baleia, uma sobre Harry Potter e uma janela de avião.

Você consegue se imaginar participando do “Spill Your Guts or Fill Your Guts”, do James Corden, com Jennifer Gibgot e Roger Kumble?
Meu Deus, eu gostaria!! Vamos cruzar os dedos para que isso aconteça haha

Como está o Asher?
Muito bem, a linguagem dele está se desenvolvendo melhor recentemente e todos os seus terapeutas estão indo bem. Eu estou muito feliz e orgulhosa dele porque tem sido difícil para por um tempo.

Anna, você deveria escutar a música “Love Maze”, do BTS, e levá-la em consideração para o nosso filme ou uma playlist.
Eu AMO essa música

Quando você terá outros filhos?
Hmm, nós tentamos decidir quando,, mas eu estou tão ocupada agora com tantas coisas relacionadas a trabalho. Eu quero adotar e ter outro filho biológico, provavelmente nos próximos dois ou três anos?

Alguma vez você já descansou e aproveitou o seu sucesso? Tirar uma mini-férias?
Não haha todas as vezes em que tirei “férias”, eu acabei trabalhando o tempo inteiro. Eu espero por férias em 2022.

Como foi o seu dia?
Bom! Eu escrevi, recebi alguns telefonemas, e nesta tarde eu tenho uma reunião muuito incrível!!

Música favorita do momento?
Falling – Harry Styles.

Matéria publicada por: Douglas Vasquez

Considerada o maior fenômeno literário de sua geração, Anna Todd é a autora convidada pela Vogue Itália a escrever um conto original inspirado pela capa da edição de Outubro da revista, que apresenta Willow e Jaden Smith. Leia a tradução, em primeira mão, a seguir:

Fumaça escura consumiu o ar enquanto eles caminhavam entre os escombros. Cidadãos por toda parte, pobres e ricos e todo mundo entre as classes. O status desaparecera no meio das ondas de fumaça, evaporara junto com o pouco de ar puro que restara em seus pulmões. Willow ofegou por ar ao mesmo tempo em que procurava por seu irmão. Suas vestes púrpura rasgadas a seus pés, o que restou de sua saia estava sendo arrastada pelo chão enquanto ela sangrava, bloco por bloco. Ela sabia que o feitiço acabaria logo, tudo isso era temporário.

Outra chama de fogo atravessou a seu lado, quase acertando a ponta de seus dedos enquanto ela rastejava por entre as paredes de mármore para esconder-se do calor jorrando pela boca da besta. Estava furiosa, gritando com ela do topo do que um dia fora uma igreja, agora uma pilha de destroços sob suas garras enormes. Cinzas e poeira e grandes pedaços de pedras caíram a sua volta ao mesmo tempo em que Milão parecia cair a seus pés.

— Willow! — A voz mais familiar de todas chamou através do barulho, cortando o ar entre a fumaça. Seus olhos mudaram de cor.

Ela cambaleou entre os corpos em seus pés, os rostos sujos que a encaravam com grandes olhos abertos, pupilas tão negras quanto a noite. Tudo o que ela queria era alcançar o seu irmão. Eles estavam tão próximos, tão próximos de estarem em segurança. Ela ponderou se isso havia mudado desde àquela manhã, quando o sol iluminava o céu e a cidade toda estava a salvo.

— Jaden! — Willow gritou por ele quando viu sua capa preta de relance apenas há alguns metros de distância, a mão dourada.

Jaden agarrou o braço de sua irmã e eles correram mais uma vez, desta vez juntos. Um bando de corvos sobrevoou sobre suas cabeças, parecendo guiá-los enquanto fugiam. O ar ficara mais puro, fácil para os dois recuperarem suas forças. Enquanto alcançavam o limite da cidade, seguindo uma horda de corpos, alguns ensanguentados cobertos de fuligem, outros intocados, a realidade começou a retornar. Eles não estavam mais no mundo que conheciam. Dragões voavam pelo céu, estátuas de pedra ganhavam vida, os corvos guinchavam, olhos brilhantes guiavam sua fuga.

Sem qualquer explicação, sem medo e caos em suas mentes, Willow e Jaden entrelaçaram seus dedos, ganhando força, e continuaram a correr em direção ao castelo que viam a distância.

Você também pode ouvir Anna Todd narrar o conto, como parte da série A Vogue’s Tale: Podcast:

Listen to “Anna Todd – Dream your Reality” on Spreaker.

Tradução e revisão por Douglas Vasquez para o After Brasil. Matéria original na Vogue Italia.




Nome: After Brasil / Anna Todd Brasil
Online desde: 19 de Junho de 2014
URL: afterbr.com / annatodd.com.br
Webmaster: Douglas Vasquez
Contato: contato@afterbr.com
Versão: 4.0

O After Brasil é a maior fonte sobre a série no Brasil e no mundo; oficializado por Anna Todd e as editoras e distribuidoras parceiras. Todo o conteúdo do site (fotos, notícias, vídeos e etc) pertencem ao site a não ser que seja informado o contrário. Este site foi criado por fãs e para os fãs e não possui nenhum tipo de fins lucrativos.
com

AFTER
Status: Disponível
Direção: Jenny Gage
Roteiro: Susan McMartin

AFTER: Depois da Verdade
Status: Pós-produção
Direção: Roger Kumble
Roteiro: Anna Todd

Design por Douglas Vasquez Codificado por Uni Design
Hospedado por Flaunt Privacy Policy